Categorias
OlhoVivo

Miopia: entenda a importância dos óculos para esse problema!

Provavelmente, você já ouviu falar da famosa miopia, certo? Para quem não sabe, o problema, também conhecido como “dificuldade de enxergar de longe”, é bastante comum entre a população do mundo inteiro.

Em alguns casos, essa condição limitada chega de mansinho, fazendo com que a pessoa demore até identificar que há algo de errado com sua visão e buscar um diagnóstico. A miopia, inclusive, apresenta alguns sintomas bastante incômodos, como visão embaçada e dor de cabeça. Mas a boa notícia é que, com o acompanhamento médico, é possível corrigir esse cenário — seja com óculos de grau ou lentes de contato.

Então, que tal cuidar da sua saúde e conhecer mais a fundo sobre a miopia? No post de hoje, selecionamos as principais informações sobre o tema: das suas causas ao tratamento. Confira!

O que é a miopia?

Muito se fala sobre a miopia por aí, mas você realmente sabe o que isso significa? Para começar, vamos à origem da palavra “miopia”, que vem do grego e significa “olho fechado”. Entender esse termo é muito simples: basta olhar para um míope sem óculos tentando enxergar de longe, que você notará como ele espreme os olhos com frequência.

A miopia acontece porque o feixe de luz, vindo do mundo exterior, ao ser refratado pelas lentes naturais do olho, não forma uma imagem exata sobre a retina, mas antes dela. Como resultado, os objetos e cenários que enxergamos são computados pelo cérebro com pouca nitidez e fora de foco.

Em resumo, de acordo com o grau da doença, é possível que o indivíduo tenha pouca ou muita dificuldade de visualizar imagens de longe. O desenvolvimento da condição também pode variar, sendo gradual ou rápido — e isso costuma acontecer entre a infância e adolescência.

Podemos dizer que há diferentes níveis de miopia, a leve e a alta. A seguir, explicaremos melhor sobre cada um deles.

  • Baixa miopia: ocorre durante a infância ou juventude. Normalmente, o grau se estabiliza após a fase de crescimento, que é em torno dos 21 anos;
  • Alta Miopia: tem estabilização longa e demorada. Em alguns casos, a miopia grave pode estar relacionada a diversas complicações na retina, como o glaucoma ou catarata.

Existem também outras categorias da miopia: a congênita, a patológica e a de índice. Veja abaixo:

Miopia congênita

A miopia congênita é um problema ocular que se inicia ainda no nascimento — persistindo até a fase infantil. Para as crianças, o recomendado é passar o máximo de tempo ao ar livre e não dentro de casa. Ao praticar atividades externas, é possível estimular a estrutura ocular, evitar a progressão da doença e minimizar os seus sintomas.

Miopia de índice

Esse tipo de miopia aparece tardiamente no indivíduo, por volta dos 60 anos. Normalmente, a condição surge a partir de outro problema ocular, como a catarata nuclear.

Miopia patológica

Já a miopia patológica, ou maligna, é um problema mais raro e grave. Nesse caso, a complicação vem acompanhada de mudanças degenerativas na estrutura do olho, prejudicando a retina e podendo aumentar ao longo da vida adulta. Infelizmente, mesmo com o uso de lentes corretivas, essa miopia responde menos aos tratamentos atuais.

Quais são as causas do problema?

Até aqui, ficou fácil entender o que é a miopia? Então, chegou o momento de saber mais sobre as principais causas do problema. Na maioria das vezes, a doença está diretamente ligada à genética do indivíduo e é descoberta ainda na fase infantil, por volta dos 12 anos.

Ou seja, se os seus pais ou familiares próximos são míopes, as suas chances de desenvolver a condição são grandes. O ideal é visitar frequentemente um oftalmologista para acompanhar a saúde dos seus olhos. Durante a consulta, o médico realizará alguns exames, que são exclusivos para analisar a sua capacidade de enxergar os objetos perfeitamente de longe.

Além da hereditariedade, há outros fatores de risco que estimulam o surgimento da miopia, ainda mais em adultos. Um deles, é o estresse visual, que acomete, principalmente, pessoas que passam boa parte do dia utilizando a visão de modo intenso. Como exemplo, podemos citar os profissionais que trabalham muitas horas em frente ao computador, tablets ou smartphones.

Sintomas

Engana-se quem imagina que a miopia causa somente o sintoma da visão embaçada. Junto a esse sinal, um tanto desagradável, é possível que a pessoa se depare com outros incômodos. São eles:

  • visão turva e embaçada ao visualizar objetos que estão distantes;
  • o costume de apertar os olhos com frequência para enxergar melhor;
  • dores de cabeça, originárias da fadiga ocular;
  • dificuldade de dirigir à noite;
  • necessidade de se aproximar da televisão ou tela do computador;
  • ler livros com muita proximidade do rosto;
  • piscar de forma repetitiva e em excesso;
  • coçar ou esfregar os olhos mais do que o normal.

Quais são os tratamentos para miopia?

Para tratar o problema, o oftalmologista deverá indicar o uso de óculos de grau ou lentes de contato — ambos com graus corretivos. Já nos casos mais graves, a cirurgia refrativa costuma ser recomendada. Independentemente do método escolhido, o principal objetivo é fazer com que a luz seja focada da forma adequada na retina.

As lentes corretivas são consideradas o método mais prático e comum para contornar a condição. Elas atuam deslocando o ponto focal para a parte de trás da retina e corrigindo a distância para que os raios de luz convirjam.

De modo geral, os óculos de grau são usados para corrigir os defeitos de refração ocular, que podem ser desenvolvidos a partir da própria miopia, hipermetropia ou astigmatismo. Além de consertar o problema e aliviar os incômodos causados por essas condições, o acessório consegue proporcionar maior conforto visual, facilitando atividades como ler ou assistir à TV.

Por último, só um aviso: quando não tratada de forma adequada, a miopia pode piorar e, no futuro, gerar sintomas ainda mais desagradáveis. Então, é melhor evitar e se cuidar desde já!

E aí, gostou do nosso post exclusivo sobre a miopia? Lembre-se de fazer um acompanhamento médico com regularidade. A sua saúde agradece! E para continuar por dentro do mundo dos óculos, aproveite a leitura e confira também o nosso post com curiosidades imperdíveis sobre o acessório!

Receba seu óculos de grau em casa

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *